sábado, 27 de abril de 2013

Reciclagem de alumínio no Brasil é citado como exemplo no relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente - PNUMA



Getty Images
Impacto ambiental causado por metais e o potencial de reciclagem desses elementos são temas de relatórios do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e modelo brasileiro de pequenas cooperativas é citado como exemplo. Esse balanço está contido em dois relatórios divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), nesta quarta-feira (24/04). 


Nos relatórios, o Brasil é o exemplo na reciclagem do alumínio: há uma década, o país é líder na reutilização do metal. A taxa de reciclagem foi de 97,6% em 2010. O relatório diz que a experiência brasileira é um sucesso, trazendo grandes benefícios sociais, econômicos e ambientais. Os relatórios reforçam também a importância de pequenos empreendedores, tanto na economia formal como na informal da reciclagem, e cita o Brasil como exemplo nesse setor, por sua experiência com catadores de lixo reunidos em cooperativas apoiadas pelo governo. Segundo a Pnuma, o apoio da infraestrutura pública é um ponto fundamental para a economia verde.

Getty Images

Para muitos, pode parecer óbvio o fato de o Brasil ser o país que mais recicla lata de alumínio no mundo, já que a atividade gera renda para cerca de 180 mil pessoas e é responsável por uma receita anual de mais de R$ 1,8 bilhão. Entretanto, não é só a questão social que garante aos brasileiros um índice de reciclagem de 97,6%.

Essa conquista se deve também à atuação organizada de toda a cadeia industrial, que desde a chegada da lata de alumínio ao Brasil, no final dos anos 80, vem investindo em pesquisa e desenvolvimento, ao mesmo tempo em que se preocupa com a gestão socioambiental.


Vamos discutir um pouco sobre o assunto?


E você, caro(a) leitor(a)? Qual a sua opinião sobre a relação entre a reciclagem do alumínio e as questões sócio-econômicas do nosso país? Deixe seu comentário!


Nenhum comentário:

Postar um comentário