quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Grupo inicia estudos para ampliar formas de proteção do Cerrado em Minas

 Parque Estadual do Rio Preto.
O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, criou, nesta sexta-feira (08/11), um grupo de trabalho para definir metodologias de identificação das diferentes formações e estágios do bioma Cerrado existentes em Minas Gerais. A ação segue a proposta de criar mecanismos específicos de proteção do bioma, a exemplo do que ocorre com a Mata Atlântica.
O Grupo de trabalho, regulamentado pela Resolução da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) nº1948/2013, é uma das propostas do Governo de Minas apresentadas no momento da promulgação da Lei 20.922, em outubro de 2013, que reformulou as Políticas Florestal e de Proteção à Biodiversidade no Estado. O grupo é composto por representantes de 14 instituições do Governo, do setor privado, de organização não governamental e da sociedade civil.
Segundo a subsecretária de Gestão e Regularização Ambiental da Semad, Maria Cláudia Pinto, o grupo terá um prazo de 90 dias, prorrogáveis, para a conclusão do trabalho e apresentação de uma proposta. “Os resultados obtidos se tornarão normas específicas para a proteção do Cerrado em Minas Gerais”, explica.
“O maior desafio é identificar os diferentes estágios do Cerrado, como acontece no caso da Mata Atlântica”, afirma Maria Cláúdia Pinto. “Dessa forma poderemos estabelecer estratégias de recuperação, conservação e uso das áreas de acordo com o estado de preservação da vegetação”, completa.

Fonte: IEF

Nenhum comentário:

Postar um comentário