sexta-feira, 22 de novembro de 2013

1º Curso de Cúpulas Geodésicas de Uberlândia

Uberlândia sediou nos dias 09 e 10 de novembro o 1º Curso de Construção de Cúpulas Geodésicas, ministrado por Nena Alava.
Nena Alava, permacultora, bioconstrutora, autodidata em geometria, especializada em construções baseadas em sólidos plaônicos e arquimedianos, cúpulas geodésicas, zomes, tenso estruturas e arquitetura têxtil. Foi responsável pelo projeto e construção de uma das maiores cúpulas geodésicas do mundo com 35 m de diâmetro em Portugal – 2004, já ministrou aulas para mais de 1.000 alunos nos últimos 9 anos.

O curso recebeu apoio da loja Leroy Merlin e da Tigre. A parte teórica foi realizada na Leroy Merlin, e a parte prática no sítio Namastê, a aproximadamente 5km da zona urbana de Uberlândia.
O sítio Namastê é um dos pioneiros em produção orgânica do município de Uberlândia. Produz enorme variedade de hortaliças e frutas sem qualquer agrotóxico. Essa iniciativa do proprietário Guilherme Lazzarini junto com uma associação de produtores locais tem ganhado espaço no centro urbano, e mostrando a importância de consumo e alimentação consciente e saudável.

A Cúpula Geodésica ou Domo Geodésico é uma estrutura arquitetônica utilizada por diversas civilizações desde a antiguidade. A extensa utilização deste recurso pode ser atribuída à sua grande estabilidade e resistência mecânica.
Estas cúpulas apresentam extraordinária resistência e leveza. A sua estrutura consiste em barras de qualquer material, e o domo pode ser feito em qualquer dimensão, desde que o tamanho das suas barras seja calculado corretamente.
Sua resistência deve-se ao formato esférico e aos triângulos que compõem sua estrutura. Assim, qualquer força aplicada no domo se distribui igualmente até sua base, como os arcos na engenharia e arquitetura.


Partindo por uma visão mais holística, a arquitetura deveria ter como objetivo criar abrigos versáteis, baratos, eficientes energicamente, leves e flexíveis: máquinas de habitar, capazes de se modificar conforme as necessidades de quem as habitasse. Assim foi pensada a geodésca, num conceito chamado "geometria energético-sinergética". Esta base teórica envolve conceitos diversos onde filosofia e geometria se entrelaçam num todo que lembra a malha das cúpulas que lhe deram fama. O termo "sinergia" é hoje aplicado numa infinidade de situações, querendo significar que o comportamento da totalidade de um sistema não é previsível a partir do comportamento das suas partes consideradas isoladamente, onde todo é "maior que a soma das suas partes".

Confira mais fotos aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário